Cozinhando na Paisagem no Mosteiro Flor da Rosa

DSC_2103
uma acção performativa de Jorge Rocha
com a participação de Ana Cristina Pais e Teresa Matos Fernandes
29 de Agosto de 2015

Data: 29 de Agosto às 18h30
Local: Mosteiro de Santa Maria Flor da Rosa – Concelho do Crato – Freguesia Flor da Rosa
Visita orientada: 18h
Participantes convidados: Ana Cristina Pais e Teresa Matos Fernandes
Organização: Rizoma Lab., Direção Regional de Cultura do Alentejo e Câmara Municipal do Crato
ENTRADA LIVRE – Não necessita inscrição prévia

O Cozinhando na Paisagem estará no Alentejo, mais precisamente no Concelho do Crato – Freguesia Flor da Rosa para a realização de mais uma acção performativa no Monumento Nacional, Mosteiro de Santa Maria Flor da Rosa. A acção acontece no dia 29 de Agosto pelas 18h30 junto ao Mosteiro, antecedida por uma visita ao mesmo, orientada pela historiadora Ana Cristina Pais.

No Município do Crato situa-se o Mosteiro de Santa Maria Flor de Rosa e será este o cenário para mais uma acção performativa que tem em conta as investigações referentes ao monumento, à sua época e a vida das gentes que então o constituíam. Assim o menu será inspirado pela época medieval sem contudo deixar ter em conta referências do que ainda hoje constitui a gastronomia local. A acompanhar esta acção desenhada e elaborada por Jorge Rocha temos duas convidadas: Ana Cristina Pais e Teresa Fernandes que explicam e contam como se interligam as investigações e descobertas com a acção que se desenrola perante os espectadores. Haverá também a oportunidade de participar numa visita guiada e ficar assim a conhecer a história deste importante Mosteiro, classificado como um dos mais importantes Monumentos Nacionais.

Ana Cristina Pais é uma das convidadas participantes nesta acção e responsável pela visita guiada ao Mosteiro antes da acção performativa Cozinhando na Paisagem. É formada em História de Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e desempenha funções como Técnica Superior na Direcção Regional de Cultura do Alentejo, sendo responsável pela área de coordenação de Museus. Desenvolve também programação de actividades culturais e organização de serviço educativo.

Teresa Matos Fernandes também estará presente como convidada participante. Doutorada em Biologia, cuja área de investigação é a biologia do esqueleto humano. Professora auxiliar na Universidade de Évora, tem um vasto currículo em antropologia de campo, que inclui a participação em escavações arqueológicas de cemitérios antigos (entre os quais a Flor da Rosa), e em pesquisas laboratoriais que visam a reconstituição das formas de vida das populações do passado, nomeadamente dos seus hábitos alimentares e condições sanitárias.

O Mosteiro de Santa Maria Flor da Rosa
Este Mosteiro situa-se no Distrito de Portalegre, Município do Crato. É um edifício enquadrável nos domínios da arquitectura militar e religiosa sendo simultaneamente um espaço fortificado e religioso, numa mística de união entre vida de oração e de combate características da arquitectura das Ordens Militares e Religiosas. Trata-se de um dos mais importantes monumentos góticos em Portugal possuindo significativa carga simbólica, na medida em que foi concebido como igreja, mosteiro e paço, sede da Ordem do Hospital numa fase em que esta participava activamente no esforço de povoamento cristão em direcção ao Sul do território. O início da construção do Mosteiro situa-se por volta de 1340, altura em que o então grão-prior do Hospital, D. Álvaro Gonçalves Pereira, determinou o arranque do estaleiro, eventualmente aproveitando as instalações de um anterior cenóbio no local. A igreja é a mais importante peça, ocupando a metade nascente do monumento. Ao que tudo indica, este espaço não foi integralmente construído no século XIV e são vários os vestígios de uma posterior tentativa de “cobertura das alas (…) e de sustentação da galeria”, obras provavelmente levadas a cabo no século XV. As primeiras décadas do século XVI marcam uma importante fase na vida do Mosteiro. Para além da reformulação e conclusão das obras do claustro, realizaram-se numerosas outras no paço e na igreja. O facto de se cruzarem vocabulários artísticos manuelinos, mudéjares e renascentistas, faz supor da existência de várias campanhas, ao longo de praticamente toda a primeira metade do século. Arruinado o paço em 1615, uma parte importante da igreja desabou em 1897. Entre os anos 40 e 60 do século XX, o monumento foi integralmente restaurado pela DGEMN e adquiriu a forma actual na década 90, altura em que o conjunto foi transformado em pousada, por projecto de Carrilho da Graça. O conjunto, compreendendo o túmulo de D. Álvaro Gonçalves Pereira, foi classificado como Monumento Nacional pelo Decreto de 16/06/1910.
Cozinhando na Paisagem integra-se no projecto PALATO e é uma ação performativa sobre sítios históricos e arqueológicos, um espetáculo gastronómico que decorre nos locais com uma paisagem em plano de fundo, abordando temáticas que colocam a Gastronomia de cada época em cruzamento com os hábitos alimentares da sociedade contemporânea.
Em cada sítio histórico é montada uma infraestrutura improvisada onde o artista, em conjunto com os investigadores de cada monumento, desenvolve uma ação performativa num formato talk show, cozinhando ao vivo e transmitindo em direto na Internet, assumindo os públicos físicos e virtuais como participantes no processo de criação artística.
Partindo de um menu inspirado nas entrelinhas da História e da Arqueologia, são consideradas as características únicas de cada local e valorizados os fatores paisagísticos, patrimoniais e sociais. Cada sessão é antecedida por uma visita comentada ao local, desenvolvida em colaboração com as entidades responsáveis por cada sítio histórico.
Todas as sessões são transmitidas em direto, em www.palato.org/transmissao, resultando num conjunto de paisagens virtuais armazenadas no Canal PALATO do site www.palato.org, sendo estas o foco da investigação artística em curso.

Próximas acções confirmadas:
Mercado de Olhão (Concelho de Olhão) – 6 de Setembro
Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe (Concelho de Vila do Bispo) – 18 de Outubro

Downloads de Imprensa:

bitmap

Equipa do Palato:
Coordenação artística: Jorge Rocha
Coordenação científica: Elena Morán
Produção: Carmo Serpa
Comunicação: Luísa Rosa Baptista
Fotografia: Ricardo Soares

Uma iniciativa

rizomalogo

Parceiros estratégicos:

logo_DRCALENTEJOlogocrato

Parceiro media:

logo_sul_informacao

Outros apoios:

pestana logo_seisMARIASLOGO_LAC

Informações:
Localização (ver mapa)
Com transmissão em direto no site www.palato.org/transmissao
Mais informações em www.palato.org ou pelo e-mail palato@rizomalab.pt

Contactos telefónicos: Carmo Serpa – 964735536 (Produção)
Luísa Baptista – 966803707 (Comunicação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.